Meu refúgio de entardeceres


Como se de nada mais físico precisasse
- eleito -

apenas, sentir
o rubro sabor crepuscular

[e tudo isto nego, veemente]

- pela mais retórica das experiências -
a proposta mais natural assenta
na envolvente solicitude, e alma
de quem se vê,
sente e pressente... tão fora de lugar -

deleitoso o licor que te convida
previne, e assina
brinda
terna ânsia, a saudade
- ver-te e te falar -,

- meus frutos da aurora
meus frescos de mar -

Teu doce acalento
teus sóis o meu luar desponta
a me aproximar
de tudo o que é indivisível, o que tão afastado
pelo que de ti vem

o que em nós - sempre - se inicia,

ainda, assim
- por um insight ou, manifesto -
faço-me acompanhar
de todos os meus foragidos sentidos
esqueço-me a te namorar

[sei, quanto em ti me fazes despertar.