Pelo que acredito


uma certa indefinição
não faz de mim quem sou;
pelo que quero, há
- haverá -
outra emancipação, ou cumplicidade
um novo rumo além

[Pois pode bem ser assim
que se sentem os anjos
na serena confusão dos céus,
e quanta animação... vista dali
- sobr'Eles, o chamamento]

que votos ou sonhos,
soberbas realidades
todos motivos ancestrais
e viris
nos leva puras as considerações,
se nos apresentam
tão válidas como sábias, nos reabre
a todas as passagens

que circuito louco, esse
que nos faz escolher
do tudo, um pouco
por demais contrapartidas...
senão que
doutras paragens extrair
tão novas perspectivas
pelo que em nós germinam
num incerto afastamento
nos libertamos,

pelo que há a plantar
dê a semente, cor
ao tom que veste
a pura essência
o que se cheira da flor,

porquanto o fruto
que dela se elegeu
- cresce - cresceu por si,
contigo, também, foi aroma
filho que te viveu
porque te escolheu


[se completou.