Sergio de Sersank's articles

  • TROBOJ (TROVAS)

    - 8 years ago - 1 comment
    TROBO PRI LA TEMPO “Regi l’ tempon – ha, defio la homojn lo ĝ anta ĉ iam! La tempo - ĥ olera Dio – sa ŭ dadon sentis neniam.” (El la krestomatio de Sersank) ......................................................... TROVA SOBRE O TEMPO Deter o tempo é impossível, desafiá-lo, quem há-de? O Tempo é um deus irascível…

  • HAJKO - Haicai

    - September 28, 2012
    Nenion sciu pri l’ kosto de l' gresejo buĉbest! Ĝi satiĝu pace... (El la krestomatio de Sersank) ............................................................ HAICAI Jamais uma rês suspeite o custo do pasto. Sacie-se em paz... (Da coletânea de Sergio de Sersank)

  • PRI LA ASPEKTOJ DE L’ DOLOR’

    - September 25, 2012 - 3 comments
    -I- Kvankam stridaj, abstraktaj estas l’ aliulaj doloroj. Ili nure vundas, akraj, se ene de niaj koroj. -II- Ofte, bone konstatitaj malplii ĝas la doloroj. Zorgu ni, ke ekscititaj, veki ĝas la aligatoroj! -III- Neniu el ni volas ĝin. Antaŭ ĝi ni fuĝas for. Ha, dia il’ de l’ destin’, ni nur ĝin nomas - dolor’! -IV- Doloron la plej kruelan , n…

  • O GRITO DA TERRA

    - September 17, 2012 - 1 comment
    Ahinsa! Ahinsa! Sergio de Sersank Desde as eras primitivas a Terra se nutre do fluido cósmico que abre-lhe entranhas, percorre-lhe inteira. Na etérea poeira…

  • DE AVÔ PARA OS NETINHOS - (DE AVO AL SIAJ GENEPOJ)

    - June 24, 2012 - 3 comments
    www.poesias.omelhordaweb.com.br/img_poesias/76724_gr.jpg No princípio, apenas Deus, nada mais, mais nada havia. Na eternidade do espaço o tempo não transcorria. De nada valia o espaço. De nada o tempo valia. Deus – o Supremo Senhor do tempo - todo esse espaço desde sempre percorria. Sonhava um novo universo que outro antes deste, por certo, pleno de luzes já havia. A vida – esse dom sublime –…

  • O VERBO

    - June 17, 2012 - 2 comments
    israelnava.com/filosofiadigital/wp-content/uploads/2008/09/no-protection-chris-peters-2005-fdr.jpg “Quod non mortalia pectora coges, auri sacra fames!” Virgílio (Eneida, 3. 56-57)* Esfera azul, jóia imensa, solitária Terra-Mar, até quando irás girar? Um verme voraz te permeia e a febre que desencadeia está por te devorar. Circula nas veias do homem, mina-lhe os campos da paz. O verbo vil da avareza cria esse verme voraz. Quem po…

  • UM HOMEM MORRE DE FRIO

    - June  9, 2012 - 1 comment
    "E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a Mim o fizestes." Mateus 25:40 Nos braços de Morfeu queda a cidade. Gélida avança a noite sob o vento Que zune açoites, bravio. Por leito e barricada andrajos tendo, Num canto, ao pé de arranha-céu imenso, Um homem morre de frio... Agonizando, ali, talvez delire, Vendo os pedestres últimos, em…

  • CRESCER

    - May 28, 2012
    Crescer é ser, cada dia, um pouco melhor, por dentro. É aprender a ser feliz pelo que somos e pelo que temos, sem abrir mão do que almejamos conseguir. É sentir com alegria e gratidão a vida pulsante na natureza. Ver a morte como seqüência natural da vida. Manter a serenidade na hora do caos. Sofrer sem murmurar. Guardar a fé. Crescer é saber a hora exata de virar uma página e de começar outra. Reconhecer os nossos erros e aprender com eles. Saber que ninguém é de ning…