Por vezes há pessoas que não resistem aos males da vida ao ponto de cometerem loucuras. Suicidam-se, roubam, matam outras pessoas ou então entram no mundo das drogas. Será que para essas pessoas estes caminhos são como um refúgio? Um refúgio que algumas vezes tem ida e volta mas que outras não tem. No caso do mundo das drogas há ida e volta. As pessoas entram porque querem mas só saem com força de vontade. Entram porque querem! Porque falta de informação sobre a toxicodependência não há. Entram porque querem fugir dos problemas. Que mais motivos hão-de haver para elas entrarem? Será que é ignorância? Será que é falta de consciência? Será que há tanta burrice por parte das pessoas? Ah! Não me venham cá dizer que foi só para experimentarem. Estou para aqui a falar ironicamente mas não sei se algum dia eu entrarei no mundo das drogas. Mas se eu entrar é porque fiquei maluca de vez. Porque há outros caminhos por onde podemos ir quando as coisas não correm bem. Pedimos ajuda a alguém porque ainda há com certeza almas generosas a querem ajudar aqueles que estão a cair ou já caíram no fundo do poço.

É preciso ajudar estas pessoas que se escondem cada vez mais dos olhares da sociedade que olham para elas como se fossem extraterrestres. Algumas pessoas discriminam e abandonam os toxicodependentes em vez de ajudá-los. Mas depois há aqueles que não querem sair do mundo das drogas porque lhes faltam a força de vontade, porque quase ninguém sabe como motivá-los a sair. E assim vai-se perdendo cidadãos que em vez de estarem na escuridão das drogas podiam estar a contribuir para um mundo melhor.