METÁFORA Plantei uma metáfora na sétima linha da folha em branco, adubei-a com uma solução de rimas e métricas e nasceu um poeta inspirado Cresceram-lhe opiniões que eram pretas ou brancas e brotaram-lhe ideias confusas entre verdades absolutas e mentiras piedosas Viajou pelo pó branco das estrelas e falou com as estrelas-do-mar no oceano profundo subiu ao castelo e desceu ao aconchego da gruta sombria conheceu o passado e o futuro Subiu-lhe com o tempo uma vontade premente de mudança não aquela vontade pueril de mudar o mundo mas apenas de se mudar a si próprio, o seu ser, o que lhe parecia ser pouco mas que afinal era muito. E depressa se cansou, o poeta, mudar-se a si mesmo revelou-se tarefa bem mais difícil que mudar o mundo. percebeu que o mundo não tinha nome, não tinha face, não fazia doer o corpo nem desafiava o espírito, era apenas uma metáfora o poeta tinha encontrado a sua origem Dez 20, 2013