ROSA VERMELHA


lá no fundo, fundo do céu,
nasceu uma rosa vermelha, misteriosa

os espinhos da rosa, finos como agulhas,
rasgaram as nuvens grisalhas que protegiam
a intimidade das criaturas celestes
e abriram caminhos de luz
por onde se escaparam
as pétalas da rosa vermelha, misteriosa

as cidades e as aldeias coloriram-se com
uma etérea e perfumada aguarela carmim

as águas azuis, azuis dos mares e dos rios
vestiram-se de tonalidades nunca vistas

os homens, que nada entendem
das coisas da vida,
acenderam velas brancas em rezas infindas
contra tais maléficas aberrações

os homens, que nada entendem
das coisas da vida,
ficaram a olhar para o céu,
à espera…