IMAGENS BUCÓLICAS

1
Amadurece a fruta estival
ao bater do solstício
2
e logo canta a brisa quente do sudoeste
afinada pelas agulhas dos pinheiros
3
Recolhem-se os homens ao abrigo ameno das sombras
e guardam-se os pensamentos para o entardecer
que tarda em chegar
4
As nuvens tribais de estorninhos tomam de assalto
em furiosa algazarra as figueiras de S. João,
enquanto melros e gaios repicam as peras e as maçãs
e abrem caminho às vespas arrogantes .
5
A deusa de Willendorf pinta de ouro os campos
e o tomilho e o poejo temperam os céus
onde planam gaviões de olhos de águia
6
os jovens bichos rompem as tocas e os ovos
e partem à aventura dos novos caminhos
e das terras e das serras e dos rios sem fim
7
e a vida se renova e renova em todos os seres
e em todos os lugares desde o tempo
em que o tempo ainda não tinha nome