MEMÓRIAS


a minha vida vai para além de mim
vai para além das minhas escolhas irrelevantes
para além do que fiz e do que ficou por fazer

a minha vida não é minha, eu sou da vida
não passo de um instrumento descartável
e um mero portador da partícula essencial
no processo da minha própria existência

a minha vida já existia antes da minha criação
terrena e permanecerá viva
no pó do universo, na memória
de vidas de outras vidas, assim como eu viverei
como repositório de memórias
de outras e outras vidas

afirmar-me nesta ínfima dimensão
é propor-me um pensamento eminentemente libertador
é quebrar os grilhões de responsabilidade
que condicionam os horizontes
da vida que apenas me carrega como passageiro

de que me vale dizer que sim ou que não
perseguir o norte ou o sul
encher o peito de orgulho de ter isto ou aquilo
quando o nada que sempre fui se exibe, irredutível,
como um nada maior do que sou.

encontrei por fim o lugar a que pertenço
bem no centro do infinito de estrelas solidárias
no céu magnífico das noites de verão alentejano