YAMAS E NYAMAS
As duas primeiras etapas os Yamas e os Niyamas constituem um código ético.
Os Yamas são cinco: os refreamentos, o que devemos evitar:
1 - Ahimsa: não violência. A prática da não violência em todos os sentidos; nos pensamentos, palavras e ações. Isto em ambos os sentidos, não violência contra sua própria pessoa e contra os seres vivos e contra a natureza.
2 - Satya: verdade. Praticar a verdade e a sinceridade. Mesmo que a verdade não satisfaça a quem quer ouvir, mas utilizar sempre a verdade. Não mentir
3 - Asteya: não roubar. Não apropriar-nos indevidamente do que não nos pertence. Mesmo que não se saiba quem é o dono, o que não é nosso, não é e não será.
4 - Brahmacharya: conservação da energia, preservar a saúde e o bem estar psíquico. Ter sempre em mente, que você conseguirá suas criações mentais.
5 - Aparigraha: praticar o desapego, não acumular bens desnecessários à manutenção de sua vida, em todos os estágios de sua vida, veja o que não é mais necessário e vá esvaziando sua mala, caso contrário, esta mala ficará muito pesada e você não poderá mais carregar. Ficará na beira do caminho, e ninguém irá para ajudar, pois todos têm a sua própria mala para carregar.
Os Niyamas - as observâncias - o que devemos praticar: 1 - Shauca: pureza. Praticar a pureza física e mental. Ter sempre pensamentos positivos e criativos ações puras e sinceras.
- Santocha: praticar o contentamento. Ser feliz em suas atitudes, ser feliz com o que tem, não desejar ou invejar os semelhantes, levar o contentamento para o seu grupo social. 3 - Tapas: disciplina, esforço sobre si mesmo. Terminar todas suas tarefas, não deixar ações inacabadas. assumir o que decidir.
4 - Svadhyaya: estudo das verdades espirituais> Mesmo que seja o único no mundo, mas ter suas verdades através das buscas e pesquisas, acreditar em que você aceite, não nas imposições.
5 - Iswarapranidhana: a oferenda de todas as suas ações a seu Deus.
Precisamos conversar um pouco mais sobre os yama, niyama e principalmente ahimsá (não violência) Um dos cinco yamas, preceitos de conduta do Yoga de Pátañjali e base de todos os outros tipos de Yoga.
Para quem não sabe yama significa refreamento e são cinco: não violência (ahimsá), veracidade (satya), não roubar (astêya), (bhramacharya) e não possessividade, desapego (aparigraha). Niyama significa observância e também são cinco: pureza (shauchan), contentamento (santôsha), esforço sobre si
próprio (tapas), estudo de si mesmo (swádhyáya) e consagração ao arquétipo ideal (Íshwara pranidhána).
Eu estava conversando com um aluno sobre os preceitos éticos do Yôga (o Fernando Fraiha) e ele ressaltou alguns pontos interessantes sobre esse assunto.
Os yamas são regras que evitam atitudes maléficas e os niyamas nos estimulam as atitudes virtuosas...
Aparentemente os yamas regulam a convivência social,
ditando "normas" para que as pessoas se relacionem de uma forma saudável como: ahimsá (não violência), satya (não mentir), astêya (não roubar).
Mas em uma analise mais cautelosa, observamos que os yamas nos proporcionam uma relação saudável conosco mesmo... Por que (por mais clichê que isso soe, muitas vezes não é tão óbvio) o maior prejudicado quando agredimos, roubamos ou mentimos somos nós mesmos... Além do vetor fisiológico da produção de hormônios que nos envenenam consideramos a deformação sutil da personalidade através da formação de samskaras e vasanas...
Fiquei com duvidas depois de falar com alguns professores como separar os yamas e niyamas de maneira geral de um sistema moral, algo que tenho pavor...
Não dá para separar, alem de ser algo necessário à sobrevivência humana, pois sem esses códigos de conduta não estaríamos hoje aqui, ou melhor, talvez até estivéssemos, mas ainda estaríamos lutando
diariamente uns com os outros por comida, para que não entrassem em nossas casas e não violassem a nossa vida. Portanto códigos de conduta são uma necessidade. O ser humano no geral ainda não desenvolveu consciência e essas regras são como trilhos para nos fazer percorrer um caminho mais agradável e correto.
Muitas pessoas me perguntam se podem praticar yoga sem conhecer os yamas e niyamas e eu até informo que sim, só o que elas não sabem é que inevitavelmente as pessoas acabam sendo levadas a praticá-los quase que involuntariamente.
Muitos exercícios (mesmo os físicos) de yoga modificam a
personalidade, e o segredo é bem simples, a pessoa passa a adotar um novo comportamento físico, com novas regras, novos ritmos e exigências.
Esses novos padrões mexem na nossa percepção das coisas fazendo o praticante "enxergar" além do seu curralzinho de percepções ordinárias para adentrar um universo mais amplo de possibilidades.
Como essas regras são universais somos naturalmente levados pela disciplina do Yoga a alcançá-los.