EM BUSCA DA PSI
A GLÂNDULA PINEAL
Luis Berman, M.D.
Colaboração: Púbio Tarragô Brittes
Parapsicólogo INPP 2002-08
A pineal está localizada abaixo do esplênio do corpo caloso, tem como principal função o hormônio melatonina, que regula os padrões do ciclo dia-noite.
A glândula pineal, também conhecida como glândula cônica, foi escolhida para estudo logo nos primórdios da anatomia, como a glândula do cérebro. A razão disto está provavelmente em que ela é muito evidente quanto os grandes hemisférios do cérebro são separados do restante do conteúdo craniano.
Assim que os pesquisadores hindus de anatomia chamavam-na, a dois mil anos, de sede da alma; e afirmam, inclusive, que o grau de desenvolvimento dos poderes psíquicos de um indivíduo (poderes ocultos) é proporcional ao grau de desenvolvimento da pineal. René Descartes, fundador da De Homine, publicado em 1662, era um texto popular de fisiologia, em que o corpo humano era considerado uma máquina material movida por uma alma racional situada na pineal.
Embora Descarte tivesse declarado que todos os animais seriam autômatos, de modo que suas ações seriam explicáveis por princípios puramente mecânicos, ele próprio, com Aristóteles, fez exeções no caso do homem. Este(pelo menos quando a poderosa mão da igreja estava por perto) teria uma alma localizada naquele ponto, a glândula pineal, centro de gravidade do cérebro.
Por literaturas do século dezenove aparecem referencias à mesma idéia. Mas esta idéia em particular estava destinada a ser substituída por uma ainda mais atraente; a de que a glândula pineal teria sido outrora a sede do terceiro olho, o olho parietal, o olho do topo da cabeça, um olho extra além dos olhos normais.
As glândulas do corpo humano estão ligadas ao sistema nervoso autônomo tem atividade psíquica, bem como a o físico e mental, a cumprir. Se aumentarmos o tamanho das glândulas com glândulas animais ou sintéticas, apenas intensificamos o funcionamento físico dessas glândulas, nada acrescentamos ao seu funcionamento psíquico. Isto seria equivalente a um atleta que quisesse ter grandes músculos por todo o corpo e começasse a comer grandes quantidades de gorduras e anabolizantes. Isto provocaria camadas de gorduras pelo corpo inteiro e lhe daria muitas dobras, mas com certeza nada acrescentaria ao seu poder muscular. Uma glândula não é importante por seu tamanho ou poder físico, mas sim ao seu funcionamento regular. Isto é verdadeiro particularmente quanto a tireóide, a pineal e a pituitária ou hipófise.
Exercícios de Yoga, como os pranayamas podem auxiliar ao funcionamento, mas nunca ao desenvolvimento. Com a pratica prolongada de tais exercícios pode se aumentar ou intensificar a atividade da pineal, isto porque o desenvolvimento desta glândula só se desenvolve através de exercícios psíquicos. (VIPAC vivência Inca dos grilos).
O psiquiatra Sergio Felipe de Oliveira, a glândula pineal funciona como uma antena de rádio que capta energias eletromagnéticas através da conexão pineal consciência. Segundo o médico psiquiatra , a pineal converte essa energia em neuroquímicos e envia comandos para as regiões do córtex cerebral, ativando desta forma as percepções da visão ,audição e da intuição E. A.C.
A linguagem ou informação é decodificada em linguagem, permitindo que o agente psi entenda o conteúdo da inf. Cognitiva.


“É interessante notar que quando falamos em sono-vigilia, inconsciência,quer dizer da consciência aclopada ao corpo; no sono a consciência parcialmente desligada do corpo. Assim, quando o córtex está bioeletricamente ativo (estado de vigília), é possível a expressão cognitiva da consciência pelo cérebro (consciência aclopada ao corpo); quando o córtex está bioeletricamente rebaixado (sono) as funções cognitivas da consciência não expressão pelo córtex semi-inativo”.
Como o comando bioelétrico cortical é regulado pela pineal-núcleo supraquiasmático, somos levados a pensar que nesta glândula temos um importante centro mental transdutor da relação consciência- corpo, isto tem a ver com as justificativas hinduístas que a glândula pineal é a glândula da vida mental”(PERES).
Pesquisas recentes indicam que a pineal está ligado a dois centros nervosos, um de cada ouvido. Estes dois centros nervosos, e mais o centro situado na própria glândula, formam um triângulo, com a pineal no centro da cabeça com o ápice ou vértice superior, e dois centros nervosos dos ouvidos formando a base. Descobriu-se também uma relação entre a pineal e a pressão do ar nos tímpanos, permitindo que o homem se equilibre, como ao caminhar sobre um cabo esticado ou subir em uma árvore, ou andar de bicicleta. Esta descoberta, os pesquisadores elaboraram o princípio de que tudo o que afete os tímpanos afetará a pineal, qualquer princípio que afete a pineal afetará os tímpanos e por conseguinte o equilíbrio.
Isto mostra que certos exercícios psíquicos ou pranayamas, provoquem um zumbido que começa a se manifestar nos ouvidos e persiste por algum tempo. Esse zumbido indica que alguma energia ou ação está sendo transmitida aos tímpanos, a partir da pineal.(Pesquisa feita pela Universidade de Basle na Suíça).


Exercício para o desenvolvimento energético da pineal.


Deverá ser feito no escuro, onde a produção do hormônio da pineal aumenta e com a claridade ele diminui.(Wrtman)
Por uma ou duas semanas, deve-se relaxar por alguns minutos (VIPAC), coloque o dedo indicador de cada mão o mais para dentro do ouvido que seja possível sem pressão incômoda.
Enquanto os dedos estiverem nesta posição nos ouvidos, tomem uma inalação profunda pelo nariz e retenha o quanto possível.
Mantenha a boca fechada, quando não puder mais prender a respiração, exale lentamente pelo nariz.
Conserve os dedos nos ouvidos durante todo o tempo que esteja inalando,retendo e exalando.
Respire normalmente por mais ou menos 30 segundos e repita o procedimento por 10 vezes.
Ao terminar, você sentirá um calor nos dutos auditivos.
A respiração pelo nariz, com os dedos colocados nos ouvidos, estabelece um circuito bem definido de vibrações positivas e negativas, que afetem os centros nervosos do crânio, o centro nervoso da tireóide, e os centro nervosos de cada um dos dois dedos.
O resultado deste exercício, se praticado conforme a instrução, será a desobstrução do nariz para a respiração e dos ouvidos para a audição, a eliminação de qualquer congestão craniana, o desenvolvimento da sensibilidade dos nervos do nariz a ponto de perceberem novos odores ou facilitar a os já conhecidos.
Ao mesmo tempo, a pineal irá despertar gradativamente, com crescente vitalidade para as funções psi.








Referencias bibliográfica.
PERES Fernado Prieto Mário. A Glândula Pineal,Pesquisa do sexto ano de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.19--.


OLIVEIRA,Sergio Felipe Bacharel em Medicina curso de Anatomia do Instituto de Ciências Biomédicas e Psicobiofísicas Universidade de São Paulo 20--.
Monografia Oficial Rosa-Cruz- seção de Templo, décimo grau nº 66,1985.