Armando TABORDA doesn't stay at the retirement lethargic sleeping. He thinks, watches, reads, writes, analysis consciences and utopias and releases dreams. The reward of all this internalization process is shown at his fifth book of poetry, where the sharing of vivid or imagined experiences becomes real.

As we can confirm this book is made of eight chapters - writing, light, sound, dream, love, mystery, life and death, and these chapters de per se provide life and colour to what I said bringing us immediately into emotions and the reflection upon the great mysteries of life and death. Armando's poetry crosses History and our stories giving us pleasure and liberty and opening up our appetite and sensibility for the written word, in this case, in a clean and simplified form. So his book once more joins the rigour of a poetic text with the easy spoken word to the public without taboos.

He purposes thought challenges, interrogations and answers and leads us into a beach where the words are erased by tides. Such a wording leaves in the air the smell of dream and mystery, in the mouth the taste of life and death, and in the memory reflections of sound and light. On the paper the words that the tides erase are gramatically immortalized through verses of white rhyme that sometimes surprise us with a plenty prose without punctuation which the author classifies as poems without breath:

Dream goes provocative unstable as a butterfly flight or other ultra-light insect that a stronger breeze throws against the garden flowers

After the success of his previous books we hope this one might be the launching pad for future books. I invite Armando never deprive us of his writing once he transports us into an unquiet and changing world where he seeks to break the eternal traditional poetry stigma electing new concepts and approaches that determine his poetry his not for everybody. This transparent way of writing is defined as poetry with personal attitude from which each one of us can make his personal reading. The verticality of men is also portrayed beyond the well known current forms through the simple focus on the words either they might be sharper or plainer.

In my opinion this poetry book beyond the attitude just referred is a fundamental stay in the art of writing good Portuguese where intention and importance, even truth and contagion above all, don't stay unnoticed. Armando TABORDA closes his book with a golden key saying in the final chapter:

We can watch the transformation of matter into light and of light into life but we cannot see the transformation of death into the eternal darkness of God

Armando TABORDA não se deixa ficar no sono letárgico da reforma. Pensa, observa, lê, escreve, analisa consciências e utopias e concretiza sonhos. E a recompensa de todo este processo de interiorização está patente neste seu quinto livro de poesia, onde a partilha de experiências vividas ou imaginadas se torna uma realidade.

Como poderão verificar este livro tem oito capítulos - escrita, luz, som, sonho, amor, mistério, vida e morte, e estes capítulos só por si, dão vida e cor ao que acabei de dizer e trazem-nos de imediato a partilha de emoções, a reflexão sobre os grandes mistérios da vida e da morte e tudo isto faz com que a poesia do Armando atravesse a História e as nossos histórias, transmitindo-nos prazer e liberdade e aguçando-nos o apetite e a sensibilidade para a palavra escrita, neste caso, numa forma cristalina e simplificada.

Assim sendo, mais uma vez neste livro de poesia o autor consegue conjugar o rigor de um texto de cariz poético com a facilidade de quem fala para um público sem tabus. Propõe-nos desafios de pensamento, interrogações e respostas e leva-nos até uma praia onde as palavras acabam por ir com as marés. Palavras essas que deixam no ar o cheiro a sonho e a mistério, na boca o sabor a vida e a morte, e na memória reflexos de som e lampejos de luz. No papel, essa palavras que as marés apagam são imortalizadas gramaticalmente em versos de rima branca que nos surpreendem, de quando em vez, com um manancial de vocábulos em prosa, sem pontuação, a que o próprio autor chama poemas sem fôlego:

O sonho passa provocadoramente instável tal voo de borboleta ou outro ultraleve insecto que uma brisa mais forte atire contra as flores do jardim

Depois do sucesso dos seus livros anteriores, espera-se que este seja, mais uma vez, a rampa de lançamento para vindouros. Para finalizar, resta-me pedir ao Armando TABORDA que não nos prive da sua escrita uma vez que ela nos transporta para um mundo de inquietude e mudança onde o autor procura romper o eterno estigma da poesia mais tradicional, elegendo novos conceitos, novas abordagens e onde ele próprio se consciencializa que a sua escrita não é para todos. A esta forma tão transparente de fazer poesia poder-se-á dizer que se trata de uma escrita poética com atitude própria a partir da qual cada um de vós fará a sua própria leitura. Faço-vos ainda sentir que a verticalidade dos homens se retracta também, para além das mais correntes formas que todos nós conhecemos, no enfoque simplificado que se dá às palavras, desde as mais acutilantes às mais singelas.

A poesia deste livro para além da atitude já atrás referida, constitui, na minha opinião, um esteio fundamental na arte de escrever em bom português onde a intenção e a importância, mas acima de tudo a verdade e o contágio, não passam despercebidos. Armando TABORDA encerra o seu livro com chave de ouro dizendo no capítulo final:

Podemos observar a transformação da matéria em luz e da luz em vida mas não podemos ver a transformação da morte na obscura eternidade de Deus

by Maria da Nazaré ROCHA, book review, 2014

(English translated by Armando TABORDA)


(article 1st edition, 2014; 2nd edition, 2016)