Galerias Subterrâneas do Monte da Guia.
A Colina da Guia é o ponto mais alto da Península de Macau e teve grande importância estratégica ao longo da sua História. Trata-se de uma série de túneis subterrâneos, vulgarmente conhecidos por abrigos antiaéreos que se estendem por toda a colina. De acordo com a História Cronológica de Macau, " em 1931, sob a supervisão de alferes português, de apelido Cunha, foram construídos túneis subterrâneos de grande envergadura no sopé da Colina da Guia e da Colina da Penha" Embora não tenham comunicação entre si, alguns desses túneis dão acesso aos fortes de artilharia e ao quartel pelo que foramavam uma importante rede de defesa militar. A área circundante estava protegida com uma vedação de arame farpado e foi classificada como zona militar restrita pelo que era fortemente vigiada e vedada a visitantes.

Em 2003, e para permitir que residentes e turistas conheçam a antiga área militar restrita e como era no passado o exército de Macau. Foram realizados trabalhos de reparação e abriu as Galerias Subterrâneas no Colina da Guia. O Complexo A situado abaixo do farol é o menos extenso dos três subterrâneos. tem 52 metros de cumprimento, atravessa a colina sul para norte e está equipado com geradores eléctricos. Está aberto das 10:00 às 17:00, todos os dias ( encerra às Segundas-feiras) e a entrada é livre.

O Complexo B das galerias Subterrâneas da Colina da Guia tem 207 metros de extensão e servia de armazém e de vigia. Dá acesso a dois fortes de artilharia com um declive significativo e apresenta uma estrutura complexa. Existem sete entradas levando a diferentes locais da Colina da Guia. As Galerias Subterrâneas adoptam o método de proteção que conserva os vestígios originais de relíquias militares no interior dos subterrâneos preservando a aparência original e melhorando a conservação do património. Desde 3 de Novembro de 2013 que está aberto ao público com entrada livre aos Sábados e Domingos das 15:00 às 17:00. Professores residentes prestam, também, serviço de guias explicando aos visitantes a disposição dos subterrâneos e as relíqueas militares. Grupos e escolas podem reservar visitas guiadas por um docente, fora do horário acima referido.

O Complexo C das Galerias Subterrâneas do Monte da Guia é o subterrâneo mais extenso e, de todos, o que tem a estrutura mais complicada. Tem 456 metros de comprimento e estende-se em todas as direcções com várias saídas. Está equipado com um dispositivo constituído por engrenagem e cordas que servia para transporte de munições. O IACM está a realizar um estudo para desenvolver trabalhos de recuperação e considerar a possibilidade de o abrir ao público.