UM PONTO (Jorge Macau)

Um ponto clica e quica

no fim,

ao pé da página

do blog cybergaláctico

Rebrilha ali

Imaginário botão

incolor

ou da cor dos pensamentos

Mensagens sutis

ao toque da ponta dos dedos

sobre o teclado branco

Quer me falar

da língua dos povos

do hiperespaço

Enquanto a tecla

delete

se faz

de

rogada

e

dorme.

Mais um ponto é poupado!