Maria Percheiro's articles


O pintassilgo - Sou como o Pintassilgo Salto de galho em galho, canto brinco, ralho sou assim... Me enfeito de v… - May 21, 2014



Por vezes - Por vezes nos julgam pelo que parecemos ser, mas tudo, sem nunca nos conhecer... Por vezes nos ol… - May 16, 2014


See all articles...

Authorizations, license

Visible by: Everyone (public).
All rights reserved
42 visits

O poeta


O Ciúme

Entre as tartáreas forjas, sempre acesas,
Jaz aos pés do tremendo, estígio nume (1),
O carrancudo, o rábido (2) Ciúme,
Ensanguentadas as corruptas presas.

Traçando o plano de cruéis empresas,
Fervendo em ondas de sulfúreo lume,
Vibra das fauces o letal cardume
De hórridos males, de hórridas tristezas.

Pelas terríveis Fúrias (3) instigado,
Lá sai do Inferno, e para mim se avança
O negro monstro, de áspides (4) toucado.

Olhos em brasa de revés me lança;
Oh dor! Oh raiva! Oh morte!... Ei-lo a meu lado
Ferrando as garras na vipérea (5) trança.

Bocage

Comments