<br / A solidao e tristeza me levaram ate là aquela casa faz tanto tempo que o vento nao sopra por entre a vidraça, onde a traça nao passa, no vidro humedecido pelo tempo fechada! Olhei enternecida o vulto da mulher ali esquecida, o cabelo grisalho onde o agazalho nao cobre todo aquele frio! Sem bater, nao fosse o vulto acordar e desse conta de todo aquele abandono onde as folhas do Outono se faziam espreitar, nao fosse ela acordar... E ai, reparei numa pequena caixa de algodao rosa, cuja mesma emanava um perfume a mariposa, fechada, ali pernoitavam recordaçoes de corpos outrora adormecidos pelo tempo esquecidos, eram simples pétalas de rosa! Ali me quedei um pouco olhando o vulto adormecido, e sem mais pensar voltei devagar nao fosse o vulto acordar e eu nao sabia que dizer, e assim voltei... Sao Percheiro Improviso