</ Eu sou o livro onde me lês, onde minha alma nua não crês, e no entanto eu gosto tanto de quando as folhas vais passando mesmo sem ver, o livro onde escrevo tudo que a alma me dita quando o corpo grita e tu não vês. Eu sou tudo isso, um misto de ternura de feitiço branco preto mestiço, eu sou tudo isso o livro que não lês. Eu sou o beijo na mistura do desejo e onde sinto teu olhar pousar e ai me desnudar de cobiça e desejo, apenas isso o feitiço do livro que não lês! Sao Percheiro