E lá ele continuava o seu caminho de mãos nos bolsos com alguns rasgos os sonhos eram vagos, de poucos se lembrava. O cabelo já grisalho que o agasalho cobria, já bem gasto pelo tempo. E ele seguia na sua utopia sentando aqui e ali quando o corpo pedia. Era tanta a falta que sentia, os sonhos já baralhados dessa infãncia, onde faziam parte as histórias que a mãe contava Das lágrimas dos briquedos quebrados os cabelos entrançados quanta falta isso lhe fazia! Falta do colo da avó imaginária onde não faltava Alli Bábá e os 40 ladrões... Das dores e das esperanças, da Joana que partira onde o cabelo não chegara a ser grisalho. falta de tudo e de nada, um agasalho, a velha manta de retalhos, da cor do arco íris... Os sapatos já gastos os olhos cansados o sonho seguia. São Percheiro Janeiro 2011