Maria Percheiro's articles


Os Canaviais - A cana-de-açúcar é, talvez, o único produto de origem agrícola destinado à alimentação que ao longo… - November  2, 2013


O cavalo e o incapacitado - November  2, 2013


O Cavalo - Era uma vez um cavalo que passava os seus dias a tirar água da nora, carregando os seus pesados arre… - November  1, 2013


See all articles...

Authorizations, license

Visible by: Everyone (public).
All rights reserved
76 visits

O cavalo e o incapacitado


Esta terapia que utiliza o cavalo como ferramenta promove ganhos motores e psicológicos.


o duas mulheres....

Daniel Limas, da Reportagem do Vida Mais Livre



Sem precisar de qualquer pesquisa científica, é fácil apontar alguns dos inúmeros benefícios de ter um animal de estimação ou mesmo estar próximo deles. Ah! vale dizer que é preciso gostar de animais. No entanto, o que poucos sabem, é que os bichos também podem ser protagonistas de terapias de reabilitação de pessoas com deficiência. Instituições e profissionais que trabalham com este tipo de terapia relatam excelentes resultados.



Uma das terapias que fazem uso de animais é a equoterapia, que como o próprio nome diz, trabalha com cavalos. Ela une as técnicas de equitação e atividades equestres com a finalidade de reabilitar e educar as pessoas com deficiência. “Os principais ganhos são os motores e os psicológicos”, explica Liana Pires SantosSite externo., psicopedagoga do Gati (Grupo de Abordagem Terapêutica integrada). Jorge Matsuda, especialista em educação e vice-diretor do Centro Básico de Equoterapia General Carracho (CBEGC-DF), da Ande (Associação Nacional de Equoterapia)Site externo., também é da mesma opinião: “o passo do cavalo estimula o deslocamento do corpo no espaço e, com isso, exercita o equilíbrio, a coordenação, o tônus muscular e a postura. Além disso, possibilita ganhos psicológicos, aumentando a autoestima e a autoconfiança”, explica. Isso ocorre porque o animal torna-se um amigo digno de total confiança, que ajuda com suas pernas e patas para a melhora dos pacientes.


Comments