Vim ver se te via amigo da telinha misteriosa...Olhei o Céu e me pareceu ver lágrimas caindo, e pensei em ti... Nas lágrimas que choramos juntos lembras?

Amigo sem rosto, sem cor sem raça, aquele amigo que no silêncio nos abraça nos dá força, vim ver se te via, e procurar um pouco tua companhia...

Por vezes penso que és uma estrelinha, mas hoje não vejo teu brilho, que sempre encontro no encontro inesperado, quando fria e só, vinhas e me fazias companhia...

Queria tanto te encontrar, falar vim ver se te via... Por vezes é no silêncio que sempre te encontro nos desencontros desta vida...

Mas hoje não há estrelas no Céu, e tudo escureceu, e eu? Eu continuei aqui, e se hoje não te encontrar, vou tentar quem sabe amanhã olhar o Céu, procurar tua companhia, hoje, vim apenas ver se te via...

São Percheiro