O ser-humano, o animal mais complexo existente no planeta, onde existe o mau e o bem, guerra e paz, amigos e inimigos. Muitos somos criados com filosofias do bem a partir dos nossos pais, mas às vezes há quem acabe por ser criado ao ouvir filosofias mas a vê-las serem quebradas por eles mesmos. Se calhar é por isso que foi criada a frase "Faz o que eu te digo e não faças o que eu faço".
Mas se os pais é que nos ensinam a filosofia do bem, e eles aprendem pelos seus pais e assim em diante... porque é que eles acabam por quebrar essa filosofia que aprenderam e que querem que os seus filhos aprendam, se eles próprios nao conseguem a cumprir?
Se calhar é por isso que fomos criados com uma mente livre, com a possibilidade de pudermos escolher o que queremos ser, que lado queremos estar e ter ao nosso lado durante a estrada que percorremos a que chamamos de vida.

Todos queremos o que há de bom, todos queremos carinho, entendimento, simpatia... mas como podemos pedir isso se não dermos o exemplo? Se eu pedisse simpatia tenho de demonstrar simpatia da minha parte para com o outro para assim eu ter a oportunidade de receber essa mesma simpatia desse outro. Infelizmente não é esse mundo que vivemos, pelo menos é isso que penso... mas será que no nosso mundo, no nosso planeta em que vivemos, a que demos do nome de Terra, existem outros mundos? Sim, pois cada mente é um mundo ao qual cada um pode impor as suas leis, os seus pensamentos. Onde tem o poder de escolha em quem considera ser amigo ou inimigo. Uma das coisas que temos de ter em conta é que quem nos entende mesmo é que nós damos confiança, quem nós deixamos entrar no nosso mundo... no mundo onde temos todas as nossas experiências presentes, todo o sofrimento, tudo aquilo que defendemos e que nos torna na pessoa que demonstramos aos outros. Só aí, ao revelar detalhes da vida pessoal ao outro é que podemos receber entendimento, pois esses detalhes são a chave da fechadura ao qual chamas como "A tua pessoa".

O essencial da vida todos sabemos, é vivê-la. Mas só a vivemos do modo que queremos. Como há quem siga regras há quem as quebre, e isso varia sempre de pessoa por pessoa.