Não é estranho relacionarmos a política com a globalização, pois a política é uma força histórica e ela conduz, tanto directamente como indirectamente, para a globalização, pois a globalização, em si, é conduzida, promovida e orientada. É também um instrumento nas mãos de quem tem capacidade de previsão e os meios de a conduzir.

A política é considerada como a arte de realizar o desejável, dentro do possível. E quando vemos que uma percentagem do produto dos países desenvolvidos bastaria para acudir as carências aflitivas dos restantes, não podemos deixar de pôr em causa essa política.

Podemos concluir, neste tópico, que a globalização é uma fatalidade, mas na medida em que a maneira como se realiza resulta de uma política.

No contexto político o impacto causado pela informação dos mass media é expressado de um modo bastante relevante devido ao facto de os chefes de estado, ainda proclamados como ditadores, controlarem as entradas de informação no país, evitando que o povo se aperceba das diferenças culturais e democráticas que existem no mundo bem como as questões religiosas, incitando a população à aceitação única e exclusiva das suas ideias, obtendo desta forma a hegemonia e liderança por um vasto número de anos ou mesmo gerações.