SEGREDO
E
sta noite morri muitas vezes, à espera
de um sonho que viesse de repente
e às escuras dançasse com a minha alma
enquanto fosses tu a conduzir
o seu ritmo assombrado nas trevas do corpo,
toda a espiral das horas que se erguessem
no poço dos sentidos. Quem és tu,
promessa imaginária que me ensina
a decifrar as intenções do vento,
a música da chuva nas janelas
sob o frio de fevereiro? O amor
ofereceu-me o teu rosto absoluto,
projectou os teus olhos no meu céu
e segreda-me agora uma palavra:
o teu nome - essa última fala da última
estrela quase a morrer
pouco a pouco embebida no meu próprio sangue
e o meu sangue à procura do teu coração.


SECRET

Tonight I died many times over, waiting
for a sudden dream to come
and dance in the dark with my soul
as long as it were you who led
its haunted rhythm within the darkness of my body,
the spiral of all hours to be hoisted
out of the well of the senses. Who are you,
imaginary promise, who teaches me
to decode the wind’s intentions,
the rain music on the window panes
in the cold of february? Love
has offered me your absolute features,
has projected your eyes on to my sky
and now whispers a word to me:
your name - the last sound spoken
by the last dying star
soaking slowly in my blood
and my blood seeking your heart.