As fotos do maracatu foram uma espécie de exercício. Saí de casa decidida a usar somente o RAW, e comecei a fotografar bem intencionada. Mas depois, como fiquei insegura quanto ao resultado, e essa era uma ocasião rara, passei pro automático da máquina (vai que saía tudo mal!) e pronto. Depois, percebendo, a tempo, que era a única maneira de aprender, voltei ao RAW - pra depois de novo usar o automático... Acho que fiquei nessa indecisão por um tempo. Ainda assim, agora vi que dá certo. Da próxima vou de RAW sem medo.

Pela descrição técnica da foto, acho que, das quatro imagens, essa foi originalmente captada com o automático. Nas outras três penso que estava usando o RAW.

Coisa difícil: fotografar um objeto múltiplo e em constante movimento. Via uma cena, um ângulo, punha logo a máquina em posição, e num segundo tudo já estava mudado. Nossa, que ansiedade pra agarrar o visual que há pouco tinha me agradado tanto e logo mudaria!

Fotografando e aprendendo.