Não pares mais a tua vida por nada, nem ninguém. Eu sei que o amor é raro hoje em dia, mas ainda mais raro é o amor-próprio, e dele tu não podes mais abrir mão. Sê fiel às tuas vontades, sê sincero com o que te faz sentir vivo mas, principalmente, vive. Continua. Se ficares parado, mais tarde vais arrepender-te de não fazeres coisas pensando nas outras pessoas, enquanto elas faziam tudo sem pensar em ti. É preciso ir abrindo mão, deixando de lado. Porque, por vezes, é tudo que nos resta. Caso contrário quando se vê, o tempo passou e a vida passou juntamente também. Há por aí muitos sonhadores assumidos, daqueles que ainda suspiram por alguém. Daqueles que ainda dão pausa nas suas vidas esperando que a outra pessoa se decida. Daqueles em que a esperança tarda em se desvanecer e que desejam permanecer mesmo que não lhe peçam e mesmo que não queiram. Mas, ainda assim, também eles acabam por seguir em frente. Porque há uma lição que eles um dia aprendem: se nós não levarmos a vida, ela nos leva de qualquer forma.