ANTOLOGIA ÁGUA ESCONDIDA
- 56 comentários
________________________________________

Água Escondida

Água Escondida, antologia poética organizada pela declamadora Neide Barros Rêgo. Companhia Brasileira de Artes Gráficas, 260 páginas. Reunindo 234 poetas, nascidos ou radicados em Niterói, muitos dos quais estreando, inclui trabalhos, dados biobibliográficos e fotografias. Poetas de várias tendências literárias. Temas variados e a obra revela nomes ao lado de poetas conhecidos e integrantes das nossas principais entidades literárias.
Prefácios de Marcos Almir Madeira, da Academia Brasileira de Letras; Edmo Rodrigues Lutterbach, Presidente da Academia Fluminense de Letras; orelha de Armando Vaz, da Academia Brasileira de Trova. Capa: desenho de Roberto Garcia.
________________________________________
traduzir em Português
+ adicionar um comentário 56 comentários - Os últimos

Água Escondida
MANIFESTAÇÕES SOBRE ÁGUA ESCONDIDA

"ÁGUA ESCONDIDA”


Muita poesia está na antologia "Água Escondida", lançada no fim de 94, sob a competente organização de Neide Barros Rêgo, mestra inimitável na arte de sentir e de dizer versos.

Há muitos poetas niteroienses, mas também os há de vários cantos brasileiros, portugueses, espanhóis, uruguaios, poloneses e até romenos. A própria Neide publica seu lindo e conhecido soneto "Cicatriz". Iniciando o livro há o nosso Dr. Abeylard Pereira Gomes a confessar num haicai: "Eu só existia/Antes de te conhecer,/Agora eu vivo. E há muitos outros. O espaço aqui, não dá para falar de tanta e boa poesia. Na próxima semana, continuarei com este imperdível Água Escondida."
FERNANDO DE AVIZ

(SETEDIAS ANO XVII Nº 815, 7/1/95)
há 2 anos.

Água Escondida
"UM LIVRO DEFINITIVO

Uma cidade, uma mulher e um livro. Pois é, a cidade é Niterói, a mulher é a poeta Neide Barros Rêgo e o livro Água Escondida. Maravilhoso livro, que Neide fez para presentear a cidade. A moça poderia ter feito um livro seu, mas preferiu convocar mais de 200 autores, todos radicados aqui e fazer uma ANTOLOGIA com poesias inspiradíssimas. O resultado é assombroso. E a capa, heim? A bela Pedra de Itapuca, num desenho magistral de Roberto Garcia. O imortal Marcos Almir Madeira prefaciou. Se o Prefeito João Sampaio tiver juízo, deve mandar comprar mil exemplares e deixar em seu gabinete. Quando Nelson Piquet, Amir Klink, Antônio Callado ou Fernando Henrique Cardoso vierem nos visitar, o presente é este, sem discussão. Viva, muitos vivas para Neide, poeta, artista, declamadora e idealizadora de uma obra ímpar. Definitiva."

ELZITA BITTENCOURT DO VALLE

(LIG – ANO XXII – Nº 1004 – 19/02/95)
há 2 anos.

Água Escondida
Querida Neide Barros Rêgo,

Agradecendo a sua bela antologia e sabendo das dificuldades e abnegação em fazer uma, eu que já realizei algumas, dou-lhe os parabéns por ter se saído tão bem da empreitada, e sobre uma terra tão linda quanto é Niterói, que adoro.
Agradeço também sua presença na posse do PEN, para onde entrei após 11 anos de eleita, por absoluta falta de tempo e meios. A festa só foi possível graças à amizade e generosidade de nossas Thereza e Conceição Tinoco, mais Cláudia Negri. Sem elas, sem sua dedicação, não teria festa. Mas foi bela e considerada a mais animada e longa das quase fizeram por lá em muitos e muitos anos.
Alegre com a beleza de seu trabalho realizado, envio anexo alguma coisa, xerocada, para que me conheça pouco mais. Com o abraço grande da sua
Savary"

(Olga Savary, escritora, antologista, membro do PEN Clube do Brasil)
há 2 anos.

Água Escondida
"Prezada Sra. Neide Barros Rêgo,

Parabéns pela publicação de Água Escondida, antologia dos poetas de Niterói. Revelou muita gente e relembrou outra, esquecida. Valeu a pena o esforço. Parece até que Niterói, pela quantidade e qualidade, é terra de poetas.
(...)

Receba o abraço amigo, mais uma vez, com os cumprimentos de
Evaristo de Morais Filho"

(Membro da Academia Brasileira de Letras)
há 2 anos.

Água Escondida
"As festas de fim de ano me serviram para a leitura de alguns livros de autores niteroienses. A prioridade foi para Água Escondida, excelente antologia poética coordenada habilmente por Neide Barros Rêgo. Esta obra é o mais precioso documento da potencialidade cultural de Niterói. Nela estão presentes cerca de 240 poetas do dia da cidade, embora algumas ausências preciosas tenham sido notadas. Mas o valor de Água Escondida não está só no quantitativo, a qualidade está presente em 95 por cento dos trabalhos apresentados. Eis aí um livro que a Enitur deveria prestigiar e divulgá-lo junto às grandes inteligências que visitam Niterói."

Júlio Vanni
Escritor, jornalista, membro do Cenáculo Fluminense de História e Letras
(SETEDIAS - GENTE & IDÉIAS)
há 2 anos.

Água Escondida
Prezado Ricardo (site ‘nitnegocios’)

Em meu nome e no de minha família, agradeço por homenagem tão carinhosa e significativa!

De onde estiver, mamãe com certeza estará muito contente com mais esta publicação da Água Escondida; segundo ela, esta Antologia foi o momento em que se “descobriu poeta” (depois de ter ensinado, durante tantos anos, a tantas outras pessoas, a arte de escrever).

Um abraço para a equipe do nitnegocios e para todos os poetas desta nossa Niterói, que ela tanto amava...

Fátima Xavier

Profª da Aliança Francesa de Niterói
há 2 anos.

Água Escondida
Mensagem: De:Elenir Moreira Teixeira

Caro Sr. Ricardo Oliveira, Emocionei-me ao ler no site Nitnegocios o poema Igualdade, da poetisa Áurea Maria, minha inesquecível amiga, com quem tive o privilégio de conviver por mais de vinte anos, trabalhando lado a lado. Lembro-me, ainda, do dia em que leu para mim este poema. Acabara de escrevê-lo e estava feliz. Belo, pequeno, mas profundo, leva-nos à reflexão, mostrando o espírito de igualdade e fraternidade que sempre norteou sua vida. Aproveito a oportunidade para dizer de minha admiração pela grande escritora, poetisa, mestra da Arte de Dizer, diretora do Centro Cultural Maria Sabina, cantora lírica, enfim, pela múltipla Neide Barros Rêgo que, além de organizar a Antologia Água Escondida, marco na cultura niteroiense, continua a homenagear e prestigiar os poetas convidados com a divulgação semanal de seus poemas, através desse site. Parabenizo-os pela iniciativa. Elenir Moreira Teixeira.
há 2 anos.

Água Escondida
ÁGUA ESCONDIDA

Muita poesia está na antologia "Água Escondida", lançada no fim de 94, sob a competente organização de Neide Barros Rêgo, mestra inimitável na arte de sentir e de dizer versos.

Há muitos poetas niteroienses, mas também os há de vários cantos brasileiros, portugueses, espanhóis, uruguaios, poloneses e até romenos. A própria Neide publica seu lindo e conhecido soneto "Cicatriz". Iniciando o livro há o nosso Dr. Abeylard Pereira Gomes a confessar num haicai: "Eu só existia/Antes de te conhecer,/Agora eu vivo. E há muitos outros. O espaço aqui, não dá para falar de tanta e boa poesia. Na próxima semana, continuarei com este imperdível Água Escondida."

FERNANDO DE AVIZ

(SETEDIAS ANO XVII Nº 815, 7/1/95)
há 2 anos.

Água Escondida
ACYR DE CASTRO - JORNAL “A PROVÍNCIA DO PARÁ”

“Aqui está a matéria publicada no jornal "A Província do Pará" na coluna de Acyr Castro.

A "Província" é o jornal diário mais importante do Pará e um dos mais antigos do Brasil. Vem do Império.

Como vê, "Água Escondida" está fazendo suas marolas...

Com admiração permanente,
José Lívio Dantas
Escritor

"Em meio à água escondida

Se a poesia pode lembrar uma árvore de inumeráveis raízes (como na copa frondosa e nos largos troncos do americano Walt Whitman), ela, na maioria dos casos, não sendo estes os únicos, claro, parece afinar-se com o chileno Vicente Huidobro que a queria com asas para verbalizar sua ânsia de vôo.

Vôo, agora, com o brasileiríssimo José Lívio Dantas a emprestar maralto à minha necessidade de estar vivo:

Refração

Vou-me a navegar
serenamente
ao balanço dos mares e marés
sem nem saber de litorais
e portos donde venho.

Sou garrafa sem rótulo
a transportar
mensagem de surfista não de náufrago
a quem saiba ler nas águas
e nos astros.

Por escuro que se faça o verde
hei de esperar ferir-me os flancos
quantos brilhos
se refratem em velas
e horizontes.

"José Livio Dantas (Santa Cruz, RN, 1º de agosto, 1934) é excelente aviador verbal: ensaísta de Romaneio a espraiar-se para a poesia & a crônica & a biografia. Idealizou o Centro Cultural Paschoal Carlos Magno. E não pára de criar. Os versos acima os fui colher numa antologia de poetas (Água Escondida, organização de Neide Barros Rêgo para a Editora CBAG, Niterói/RJ, 1994) a centralizar uma cidade, Niterói, a florescer feito água escondida – como a de Zé Livio, um universo que se redesenha em signos que só conseguimos decifrar se lendo tanto nas ondas do mar quanto no mais profundo (a residência na terra de que falou Neruda) do vento leve que passa reinaugurando o dia. O que possa ferir o poeta não é a vida (para o que constrói, como no exemplo do Centro Cultural que em Niterói homenageia a memória de Paschoal Carlos Magno) e sim as arestas amontoadas no curso das águas pelo que se opõe à arte de viver. A vida, uma arte (como o poema) sujeita à refração e por onde se escoa, entre festas, a Via Láctea."
há 2 anos.

Água Escondida
ALICE DE OLIVEIRA
ESCRITORA, PRESIDENTE DA ACADEMIA INTERNACIONAL DE LETRAS, RIO DE JANEIRO

Querida Neide.

Finalmente acabo de ler com a mais viva emoção a bela antologia “Água Escondida”, fruto de seu incansável talento, e, venho agradecer-lhe o prazer e o proveito desta grata leitura.

Depois das palavras preambulares tão bem pensadas e apresentadas pela antologista, seguidas dos abalizados depoimentos dos eminentes Marcos Almir Madeira e Edmo Rodrigues Lutterbach, surge em grande estilo a riquíssima guirlanda confeccionada de poemas, de sonetos, de versos cheios de flama e de alma que iluminam de ponta a ponta todo o livro. É uma antologia plena de substância, de sentimentos de evocações, de saudades, com a forma e o fundo vazados e fixados em ritmos, os mais suaves, com fortes coloridos, agradáveis de serem ouvidos, lidos e guardados com o maior carinho em um lugar especial da nossa biblioteca. Você conseguiu, cara amiga, num rasgo de heroísmo, reunir sob um mesmo pátio, a colaboração de nada menos que duzentos e trinta e três autores naturalmente selecionados através de sua melhor produção onde extravasavam suas inspirações, verves plenas de sensibilidade.

Grandes são as divergências de opiniões suscitadas pela poesia em seus vários aspectos e estilos. Daí, a importância desta obra pois, nela estão contidos versos para todas as emoções; para enxugar as lágrimas e mitigar a dor; para exaltar as nobres tendências da alma humana ou causticar a hipocrisia, deixando assim a impressão de um equilíbrio entre o sentimento e a consciência; entre a evocação e a realidade como criaturas que são companheiras do homem, ligadas à sorte humana, que por sua vez está irremediavelmente ligada ao vasto mundo em que vivemos, através do amor, do ciúme, da saudade, da fé, da esperança, da confiança. São cânticos que ecoam em cada página, contracenando com o ódio, a ironia, a hipocrisia, a vingança, a desilusão, o desespero, a própria vida, e, por estranho que pareça, a morte e suas angústias purificadas pelas lágrimas.

Todos esse sentimentos encontram amparo no mágico e comovente misticismo de cada autor no momento supremo de sua criação. Como vemos, a poesia não está morta como querem afirmar certas correntes frustradas, talvez por não conseguirem conviver com a exigente musa.

Amo a poesia desde as suas tradicionais formas começando pela alegoria. Camoniana ou a grandeza do magnífico Guerra Junqueira, a efervescente sonoridade dos dramas do Vale de Florença Dante Alighieri; a riqueza folclórica de um Cervantes, de Verlaine, Shakespeare ou ainda dos suavíssimos poetas da gloriosa estirpe dos Inconfidentes Cláudio Manuel da Costa, Thomaz Antônio Gonzaga, Alvarenga Peixoto; dos inconfundíveis Gonçalves Dias, Raimundo Corrêa, Alphonsus de Guimarães, Alberto de Oliveira, Casimiro de Abreu; do augusto condoreiro Antônio de Castro Alves, do mestre Olavo Bilac, enfim, uma gama imensa de constelações poéticas, para não falar nos modernistas do quilate de Menotti del Picchia, Cecília Meireles, Cora Coralina, Guilherme de Almeida, Olegário Marianno, e tantos outros.

Mantenho para esses bardos uma lâmpada eternamente acesa pela gratidão que lhes devo pelo bem que me fizeram, pelo caminho de amor a que fizeram trilhar meu pobre e humilde estro que me autoriza a emitir tal parecer que certamente representará a maioria dos leitores aptos a julgar pelo sentimento, a beleza de cada página de “Água Escondida”.

Dou-lhe os meus sinceros parabéns por esta nobre iniciativa que veio enriquecer; sem sombra de dúvida, o acervo poético da literatura brasileira.

Fraternalmente,
há 2 anos.

Água Escondida
ANA LUÍZA VIDAL FONSECA
MÉDICA
NITERÓI - RJ

Gostaria de parabenizar a intelectual Neide Barros Rêgo pela Antologia Poética “Água Escondida” que tem, em seu conteúdo, trabalhos de 234 poetas de Niterói. Esse livro reúne tantas formas de poesias e foi feito com tanto esmero, que poderia ser aproveitado para outra finalidade, além de dar prazer aos amantes das letras.

Atualmente, os programas massificados de televisão, cinema, jogos eletrônicos e informática, com monstros, guerras e competições, mascaram e deturpam a realidade, embotam a criatividade de nossos adolescentes, além de torná-los mais agressivos.

A meu ver, esta obra literária deveria ser introduzida nas escolas de primeiro e segundo graus. Os alunos teriam, num só livro, as mais variadas formas de poesia, aprendendo a diferenciá-las. Além disso, teriam contato com diagramação e prefácios primorosos e, através de seus próprios conceitos e interpretações, seriam levados a criar, a “poetar”.
há 2 anos.

Água Escondida
Exmª. Senhora
Dona Neide Barros Rêgo:

Com os meus melhores cumprimentos e votos de boa saúde, bem como para todos que lhe são queridos, venho acusar a recepção do livro ÁGUA ESCONDIDA, uma Antologia organizada pela minha boa e Exmª. Amiga e, desde já felicito-a por tão prestimosa obra, onde bem se patenteia a sua grande força de vontade, de ânimo, de persistência e coragem admiráveis.

Estava eu longe, muito longe mesmo, no remanso da minha secretária, neste Lar de São Martinho onde vivo agora, entregue aos meus pensamentos a escrever poesia, quando fui alertado por uma "grande surpresa" provinda de além Atlântico, remetida pela mão amiga da Senhora Dona Neide Barros Rêgo. Fiquei todo alvoroçado e não era caso para menos: Nada mais, nada menos, do que um livro, uma Angologia de Poetas Niteroienses. Abri imediatamente a encomenda e principiei a ler as poesias de tantos poetas de Niterói. Pondo de parte o que tinha a fazer, mergulhei nas águas
escondidas desse manancial de poesia. E desde logo me absorvi na sua leitura, e agora posso dizer que ÁGUA ESCONDIDA" é realmente um manancial de Poetas que a minha boa e ilustre Amiga põe a descoberto nesta bela Antologia. Em boa hora, pois encerra uma plêiade esplêndida de exteriorizações poéticas variadíssimas, mas todas cheias de enlevo e encantamento dos sentidos. ÁGUA ESCONDIDA" é um jardim de lindissimas flores (poesias) que me encantaram. É uma descoberta de valores escondidos, trazidos à flor da vida, à luz do Sol da vida. Quantos Poetas e Poetisas vivem ocultos! Mas uma mimosa mão de mulher, descobriu-lhe o encanto e pantenteou-o ao mundo! Para mim foi um enternecido enlevo ler tantas poesias, que me encheram a alma e o coração. O Brasil tem no seu âmago alma lusíada. Diz-se em Portugal que qualquer português enamorado é um poeta. Veririquei aqui, nesta ÁGUA ESCONDIDA", que o brasileiro também é um enamorado e, portanto, um poeta na verdadeira acepção da palavra.

Li todo o livro 'Água Escondida" e fico-lhe imensamente grato de me ter proporcionado com a sua mimosa oferta,
tantos momentos de prazer intelectual e espiritual.

Senhora Dona Neide Barros Rêgo, o meu BEM HAJA, tão português, mas que só com ele posso cabalmente manifestar e traduzir o meu mais puro, verdadeiro e expressivo agradecimento. Desculpe-me de só agora responder à sua tão amável quão agradável surpresa, que foi para mim a sua "Água Escondida". Nesta "água" bebe-se muito encanto, muito praer, muita poesia!
BEM HAJA, mais uma vez!
A poesia brasileira, em particular a poesia de Niterói, está de PARABÉNS, trazida à tona por uma feminina mão de mulher brasileira, uma apaixonada da Poesia.

Mais uma vez o meu BEM HAJA e os meus mais sinceros e efusivos parabéns por tão meritória obra, nascida do seu sonho e da sua paixão. Estão também de parabéns otdos os participantes da Antologia "Água Escondida".
(...)
Seu amigo certo, que muito respeitosamente a admira como Poetisa e Mestra da Arte de Dizer, e se subscreve com particular estima e consideração,

Francisco dos Santos
Ouca –– Vagos –– Portugal.
há 2 anos.

Água Escondida
ARMINDO CADAXA, ESCRITOR
NOVA FRIBURGO - RJ

Muito agradeço sua gentil carta de 12 do corrente e suas bondosas palavras sobre a minha poesia. Sempre é um motivo de alegria para o poeta encontrar quem goste do que ele escreve.

Fico-lhe também grato pelo envio de "Água Escondida", onde além do seu belo poema e dos de Xavier Placer e José Lívio Dantas, encontrei peças de velhos colegas meus da Faculdade de Direito de Niterói, como Marcos Almir Madeira e Geraldo Bezerra de Menezes, além de outros cuja produção não conhecia, mas que estão me encantando.

Envio com esta o livro imediatamente anterior a "Perspectiva Desde a Rocha", "Terra de Siena" (...)

Muito sinceramente seu

Armindo Cadaxa, escritor
Nova Friburgo, RJ
há 2 anos.

Água Escondida
CAROLINA RAMOS - ESCRITORA
MEMBRO DA ACADEMIA SANTISTA DE LETRAS - SANTOS - SÃO PAULO

Prezada Poetisa Neide Barros Rêgo:

Com satisfação, agradeço o belo presente que gentilmente me ofertou, ou seja, a Antologia "Água Escondida". obra de fôlego que lhe deve ter proporcionado imensa emoção por ter conseguido vê-la concluída.

Acredito seja mais fácil escrever um livro do que coordenar e levar a bom termo obra alheia e, no entanto, saiu-se primorosamente, minha amiga. "Água Escondida" está esplêndida não só pelo conteúdo como pela apresentação. Não será pretensioso dizer que Niterói cresceu culturalmente após esta obra. E para mim foi muito grato encontrar entre os poetas participantes nomes de muitos amigos que me são bastante caros.

Assim, prezada amiga, receba meus efusivos parabéns pelo seu admirável trabalho de Antologista e também pelo não menos acmirável soneto "Cicatriz", incluso.

Com reiterados agradecimentos, o meu muito fraterno abraço.

Carolina Ramos, escritora.
há 2 anos.

Água Escondida
DAGMAR CHAVES
(MÉDICO, ESCRITOR E PRESIDENTE DA ACADEMIA GUANABARINA DE LETRAS)
RIO DE JANEIRO

À prezada amiga Neide Barros Rêgo, poetisa, professora de declamação, autora de "Cicatriz" etc., nossos sinceros agradecimentos pela generosidade que teve, de oferecer-nos um exemplar da Antologia Poética "Água Escondida", que contém excelentes trabalhos de festejados e consagrados Autores, assegurando leitura, a um só tempo útil e deveras agradável.

É, em verdade um "Buquê de Sonhos".

Com afetuosos abraços, votos de saúde, paz, alegrias e prosperidade em 1995.

Rosinha e Dagmar Chaves
há 2 anos.

Água Escondida
DELIZA PAGNONCELLI
DECLAMADORA E PROFESSORA DE ARTE DE DIZER
RIO DE JANEIRO, 21-1-96

“Querida Neide,

Uma série de imprevistos e pequenas viagens afastaram-me do Rio, por isso minhas desculpas pelo tardio de me manifestar sobre o recebimento de sua Antologia.

Sempre elogio seu entusiasmo e dedicação à poesia e sua interpretação. Desta vez, porém, você se excedeu com “Água Escondida”. Louvo sua idéia; louvo seu trabalho (imenso) em reunir tantos poetas niteroienses; surpreendo-me com a quantidade de pessoas que amam a poesia; louvo a alegria que você proporcionou a tanta gente que até então não tinha tido a oportunidade de aparecer e que, através de você, brotou e pode ser admirada.

Finalmente, depois dessa louvação, parabéns, minha querida Neide. Você é realmente a continuadora do que nos legou Maria Sabina, com o mesmo entusiasmo, com a mesma garra, com o mesmo amor pela poesia.
Ao Walmir, o meu abraço e parabéns pela colaboração que muito apreciei.

A você, admirável Neide, o meu abraço sincero e carinhoso. Obrigada pelo carinho e pela oportunidade de apreciar Água Escondida.”
há 2 anos.

Água Escondida
ELENIR
POETISA - FUNCIONÁRIA
NITERÓI - RJ
Neide

Que esta flor de mistério e beleza leve a você meus parabéns pela sua façanha de preparar sua Antologia com 234 participantes; de escolher nome e capa lindíssimos, de tudo organizar com cuidado e brilho.

Só me cabe agradecer-lhe a generosidade em permitir que eu nela figurasse ao lado de grandes poetas de nossa terra.

Elenir
há 2 anos.

Água Escondida
"MOSTRANDO ÁGUA

É preciso reler, tresler "Água Escondida", antologia de poesia organizada por Neide Barros Rêgo. É água santa de pura sensibilidade.Imperdível!

Na página 114, não se pode deixar de ler "Leve, um soneto assinado pela pena mais culta e competente da cidade, um mestre de todos nós. Vale conferir.”

Fernando de Aviz
(SETEDIAS ANO XVII – Nº 816 – 14/01/95)
há 2 anos.

Água Escondida
FERNANDO ELVIRO COSTA
ADVOGADO, JORNALISTA, MEMBRO DO CENÁCULO FLUMINENSE DE HISTÓRIA E LETRAS
CALÇADÃO DA CULTURA, NITERÓI, EM 2/12/95.

Água Escondida

Outra vez “Água Escondida”,
água de cheiro, água rosa,
água fina recolhida
em ânfora suntuosa.

Água sempre apetecida,
água limpa, saborosa,
jamais será esquecida;
fonte de idéias!... Faustosa!

Água pura, original,
em tomada não faz mal
água que sabe a licor...

Água fresca de beber,
água que faz conviver
com as mil coisas do amor.
há 2 anos.

Água Escondida
FERNANDO PY
JORNALISTA, POETA, MEMBRO DA ACADEMIA PETROPOLITANA DE POESIA RAUL DE LEONI
PETRÓPOLIS - RJ


Prezada Neide:

Muito grato pela remessa do seu livro “Água Escondida”, que aliás é bem bonito mesmo. Por dentro e por fora.

Mas acontece que eu já havia recebido outro exemplar, em janeiro de 95, devido à
gentileza de Angelo Longo. E assim, escrevi sobre o livro já na ocasião, e mando-lhe um recorte da publicação.

Foi muito agradável ver alguns amigos poetas na antologia, especialmente, além do Angelo, Patrícia Blower e Hilma Ranauro, boas amigas de longa data.

Espero que este contato seja o primeiro de uma longa série de correspondências.
Abraços cordiais.”
há 2 anos.
▼ Comentários seguintes ▼