A Academia Fluminense de Letras, em parceria com o Centro Cultural M Maria Sabina aria Sabina, realizou, no dia 9 de dezembro de 1998, em sua sede, Praça da República, 7, Centro – Niterói, o recital de poesias de Maria Sabina, intitulado "Alma Brasileira", em comemoração ao centenário de nascimento da poetisa.
A apresentação foi feita pelo presidente da AFL, Edmo Rodrigues Lutterbach. Interpretaram os poemas declamadores convidados e alunos do Curso Maria Sabina, de Niterói, sob a coordenação de sua diretora, Neide Barros Rêgo.
Participações especiais: Alda Garcia de Oliveira (fundadora em fevereiro de 1959) do Curso Maria Sabina, em Campo Grande (MS), e Neide Barros Rêgo, (fundadora em 24 de junho de1961) do Curso Maria Sabina, em Niterói (RJ).
Houve exposição de fotografias de recitais promovidos pelo Curso Maria Sabina e, ao final, foi oferecido um coquetel aos convidados.

Palavras do presidente Edmo Rodrigues Lutterbach
A Academia Fluminense de Letras está em festa. Durante quase dois anos esteve impedida de realizar reuniões mensais, conferências, sessões de posse, em sua sede, face às obras realizadas no prédio da Biblioteca Estadual de Niterói, reinaugurada somente no dia 2 deste mês.
Nesse longo período, somente demos posse ao Acadêmico Tarcísio Meirelles Padilha, que foi recebido por Antonio Carlos Villaça, em sessão de 28.11.1997, realizada no Clube Português de Niterói, gentilmente cedido pelo seu diretor-presidente Antonio Gomes Eduardo.
Vários acadêmicos eleitos não assumiram ainda suas cadeiras por não desejarem tomar posse fora da Instituição. E concordamos com eles. Alguns, entretanto, já estão com posse confirmada para o próximo ano.
Em meados de novembro último, verificando o andamento dos trabalhos da reforma deste prédio, conversamos com a presidente do Centro Cultural Maria Sabina, professora Neide Barros Rêgo, e acordamos que poderíamos prestar a última homenagem deste ano à poetisa e declamadora Maria Sabina, no centenário de seu nascimento, neste recinto em que ela estivera por duas vezes, em 12 de dezembro de 1982 e 20 de maio de 1983, já nas alturas dos seus 84 anos.
Oportuno acentuar que essa ilustríssima mineira de Barbacena, nascida a 6 de dezembro de 1898, descida ao túmulo no dia 17 de julho de 1991, recebeu inúmeras homenagens por parte de algumas de suas ex-alunas. Uma delas, Neide Barros Rêgo, promovera várias e participara de inúmeras outras, não só em Niterói, como no Rio de Janeiro, em Juiz de Fora (MG), Barbacena (MG) e Campo Grande (MS).
Organizou, outrossim, diversos recitais. O recital “Sequência do Sonho” , de poesias interpretadas por Aparecida Barreto, Gracinha Rego, Marly Prates e Neide Barros Rêgo (integrantes do Grupo Nuance) e por Lucy de Azevedo Domingues, realizado no anfiteatro do Centro de Estudos Murilo Mendes, da Universidade de Juiz de Fora, em 17 de abril de 1998, promovido pela acadêmica Creuza Cavalcanti França, diretora do Centro de Estudos Literários. Dito recital foi precedido de palestra nossa sobre o centenário de nascimento de Maria Sabina de Albuquerque e centenário de morte de Cruz e Sousa.
Mais um recital ocorreu, em 25 de abril de 1998, com a participação de declamadoras diplomadas e de alunos do Curso que tem o nome da barbacenense, no auditório do Centro Cultural Maria Sabina, seguido de leitura de depoimentos de Augusta Campos, Véra de Beaurepaire-Rohan, Armando Vaz, Alda Garcia de Oliveira, e da crítica de Murillo Araújo, acerca da obra de Maria Sabina de Albuquerque.
Outro ainda, com o Grupo Nuance, no Centro Cultural Maria Sabina, em 24 de maio de 1998, e um pronunciamento nosso, que publicamos sob o título Reflexões sobre Maria Sabina.
No dia 28 do mesmo mês e ano, no Teatro da Associação Médica Fluminense, ocorreu a entrega dos prêmios aos vencedores do Concurso de Poesia Maria Sabina , promovido pela produtora cultural Mila Barbosa, com o apoio da Associação Niteroiense de Escritores. A convite da organizadora, o Grupo Nuance participou interpretando poemas de Maria Sabina.
A poetisa foi novamente homenageada na solenidade de entrega dos prêmios do “Festival SESC de Poesia”, promovido pelo Serviço Social do Comércio, em Niterói, na noite de 15 de julho de 1998. Além da participação do Grupo Nuance, declamou a aluna diplomada Rosimar dos Santos de Castro, funcionária do SESC.
Outro mais, de poesias, intitulado “Entusiasmo”, por declamadoras diplomadas e alunos de Maria Sabina, e leitura de depoimentos de Vilmar Lassance, Waldenir de Bragança, Astréa Teixeira e Mila Barbosa, no aludido Centro, em 19 de julho de 1998.
Recital “Canto de Amor” , com o Grupo Nuance, e apresentação deste que ora se manifesta, no Clube Militar, Rio de Janeiro, em 23 de setembro de 1998.
Novamente homenageada, no recital de poesias “Canto de Amor”, do Nuance, promovido pela Academia Barbacenense de Letras, Academia Fluminense de Letras e pelo Centro Cultural Maria Sabina, com apresentação nossa, em Barbacena, no dia 23 de outubro de 1998, ocasião em que a nossa confreira Neide Barros Rêgo se empossou na Cadeira nº 37, patronímica de Maria Sabina, na Classe de Correspondentes, da Instituição mineira.
E, no dia 6 deste mês de dezembro, domingo, data em que Maria Sabina completaria um século de existência, Neide Barros Rêgo programou a missa por alma de sua mestra da Arte de Dizer, na Paróquia Nossa Senhora das Dores do Ingá, celebrada pelo Monsenhor Elídio Robaina, ilustre membro do Cenáculo Fluminense de História e Letras.
Devemos acentuar que o Centro Cultural Maria Sabina, de Niterói, acompanhou homenagens outras à poetisa e declamadora Maria Sabina, organizadas por Yvonne Bastos, Maria Feijó, Antonio Bispo dos Santos (no Rio de Janeiro), José Bernardino Peixoto (em Belo Horizonte), Mário Celso Rios e Zilda Moreira de Castro (em Barbacena), Waldenir de Bragança, Milton Nunes Loureiro, Maria Otília Marques Camillo, Margarida Maria Marques, Mila Barbosa, Marilena Gomes Ribeiro (em Niterói) e Alda Garcia de Oliveira (Campo Grande, MS). Participara Neide desta homenagem, declamando três poesias de sua mestra.
Nesta noite, 9 de dezembro de 1998, temos o recital “Alma Brasileira”. Poemas de Maria Sabina serão declamados por alunos e alunas do Curso Maria Sabina, de Niterói, por declamadores e declamadoras diplomados pelo Curso Olavo Bilac, no Rio de Janeiro, inclusive com a participação da digníssima professora Alda Garcia de Oliveira, do Curso Maria Sabina, de Campo Grande, Mato Grosso do Sul.
Encerram-se, assim, as homenagens programadas para este ano à filha de Barbacena, Maria Sabina de Albuquerque, poetisa que deixou oito livros de poesia: Na penumbra do sonho, Água dormente, O país sem caminhos, Entusiasmo, Canto do Tempo Trágico, Canto Solitário, Antologia Poética – Sequência do Sonho, As Testemunhas; quatro trabalhos outros em prosa: Alma Tropical (contos e um estudo sobre a Amazônia através da literatura brasileira contemporânea), Biografia de Adolfo Lutz, Biografia de Gonçalves Ramos – um Apóstolo da Democracia, Biografia de João Pedro de Albuquerque – um Médico, um Sanitarista, um Homem.
Homenagem, a nosso ver, justa, justíssima, àquela extraordinária declamadora, poetisa que nos reúne e nos une neste recinto da Academia Fluminense de Letras.
Dizendo isso, senhoras e senhores, encerramos nossos comentários e passamos à apresentação do recital.
Programa
Grupo Nuance (*) – Poema da terra mineira e Canto de fé
André Varela – A partilha
Carmen Brasil – Braços vazios
Vera Tavares – Não silenciem o canto
Armando Vaz Teixeira – É sempre tempo de chorar
Regina de Oliveira – Não me fales de amor
Maria Lúcia Dutra – Terra do meu amor
Olinda de Aragão Vieira – Berceuse
Leda Mendes Jorge – Dualidade
Ruth Pessanha – In memoriam e Docilidade
Alex Peixoto da Costa – As razões de um soldado brasileiro
Véra de Beaurepaire-Rohan – Painel da tarde
Rosimar dos Santos de Castro – Cartas de amor
Aparecida Barreto – Uma flor entre as páginas de um livro
Patrícia Faria Santos – As mães
Geny Sardenberg – O menino e o papel
Maria Otília Marques Camillo – Recife canta
Lucy de Azevedo Domingues – Há sempre uma nova aurora
Gracinha Rego – Ronda encantada
Cilas Silva – Mar salgado
Marly Prates – Alma do carnaval
Neide Barros Rêgo – Canto de amor
Deliza Pagnoncelli – Carro de boi
Lise Saint-Clair Pimentel – Viver
Dora Nascimento Cambeiro – Sertão
Grupo Nuance (*) – O grito
Alda Garcia de Oliveira –Mulheres de Mato Grosso
Neide e Gracinha – Os rios

(*) Grupo Nuance – integrado pelas declamadoras Neide Barros Rêgo, Gracinha Rego, Marly Prates e Aparecida Barreto.